Brasileiro comenta visita recente ao Afeganistão antes da retirada do exército militar: ‘’População já estava apreensiva’’

Foto: Divulgação

O Brasileiro Giancarlo Ambrosino esteve em Cabul e Bamiyan em Abril deste ano

Em 2021, o Afeganistão voltou a ser manchete mundialmente com a retirada do exército americano do país depois de 20 anos e a breve retomada do controle local por parte do Talibã. O caos voltou a se instaurar pelas ruas afegãs e concretizou o que a população local temia. O brasileiro Giancarlo Ambrosino, que já visitou 191 países, esteve no Afeganistão pouco antes da retomada do poder por parte do grupo extremista e visitou a capital, Cabul e Bamiyan.

Giancarlo Ambrosino
Foto: Divulgação

De acordo com Giancarlo, o clima já era tenso em Abril: ‘’Voltei ao afeganistão em Abril porque fui informado por um amigo do exército americano que o país entraria em guerra civil e quando estava lá, o clima já era tenso e a população já estava apreensiva. Especificamente em Bamiyan, local histórico onde o Talibã havia destruído as estátuas dos Budas. A situação piorou mais do que todos imaginam. O estrago e a velocidade de destruição que o Talibã causou foi sem precedentes, nunca imaginei que seria assim. Gostaria de retornar ao países se for possível em algum momento. Fiquei amigo do guia, ele conseguiu fugir com a sua família para a Itália, mas sua sogra não teve tanta sorte. Ela foi morta pelos terroristas tentando fugir para o Irã’’. disse.

O brasileiro, que já havia visitado o país em 2019, relata também que o esquema de segurança dos hotéis que se hospedou no país era forte: ‘’Em Cabul fiquei hospedado em um hotel que sofreu vários ataques dos terroristas, parecia um bunker com mais de 30 seguranças fortemente armados com metralhadoras AK47. Nunca vi tantas dessas quanto no Afeganistão, especialmente em Mazar Sharif, em que me hospedei em um dos hotéis mais perigosos do mundo.’’ conta Giancarlo.

Giancarlo Ambrosino
Foto: Divulgação

Mesmo presenciando todo o sofrimento dos vestígios da guerra, Giancarlo garante que é possível se encantar pelo país e gostaria muito de poder voltar: ‘’O país é fascinante. Quando está lá parece que sempre há mais locais para se visitar. Parece que tudo parou no tempo. Eu sempre fui muito bem acolhido. Lá eles comem um churrasco de cabra com pão que eu achava delicioso. Tenho boas memórias e gostaria sim de poder voltar quando a paz for restabelecida“, completou.